Informação Geral - A Domótica ...

O baixo consumo de energia aliado a uma melhor segurança para os bens e para as pessoas, e uma melhor qualidade de vida são os principais benefícios oferecidos pela Domótica (Home Automation - Automatização de habitações), um conceito já existente há mais de 20 anos mas que só agora começa a ser empregue. Actualmente, graças à convergência de vários pontos chave, a Domótica chegou ao ponto de uma verdadeira viabilidade económica e técnica.

A Domótica baixa significativamente os custos de energia eléctrica oferecendo um controlo preciso e inteligente na energia utilizada. Por exemplo, a climatização e a iluminação podem ser ajustadas em cada divisão e em cada módulo de modo a aproveitar por exemplo a energia natural (energia solar no caso da iluminação), e/ou os momentos em que a energia eléctrica é mais barata.

No campo da segurança, a Domótica ofereçe muito mais do que a simples detecção de fumo ou de intrusos; estragos em bens, como equipamentos eléctricos podem ser protegidos através duma monitorização com os módulos que as controlam, mensagens de erros ou de mal funcionamento podem ser facilmente monitorizadas.

Na melhoria da qualidade de vida incluem-se por exemplo a distribuição de dados visuais ou de audio, ajuste automático da climatização em resposta às mudanças de tempo e portas activadas pela voz para pessoas deficientes.

A maioria destas aplicações já é possivel tecnicamente há alguns anos mas sempre foram ou muito caras ou muito complexas para uma utilização doméstica. De facto, dois dos pontos chave para o crescimento do mercado da Domótica são os baixos preços e a facilidade de utilização .

O baixo preço é indipensável, porque a Domótica está especialmente virada para o lado do consumidor normal. Esse preço não só inclui a diferença de preço entre comprar um interruptor normal ou um interruptor inteligente mas também o custo da infraestrutura. Sistemas que requerem a instalação de uma central de controlo ou novas cablagens não são economicamente viáveis para o utilizador comum.

A facilidade de utilização também é essencial, visto que os utilizadoes da Domótica podem vir de qualquer camada social ou educacional. Um módulo não deve envolver para o utilizador muitos e complicados procedimentos de instalação e deve ter o máximo de flexibilidade possivel para o controlo do módulo em si, via um PC, um comando de infra vermelhos, um telefone e assim por diante.

Na Europa, várias empresas juntaram-se na criação duma norma conhecida como EHS (European Home System), inicialmente virada principalmente para puras aplicações domésticas, EHS está agora também redireccionada para aplicações comerciais como hóteis e escritórios.

O ponto chave da EHS, é o conceito duma instalação automática. Um dispositivo (módulo) compatível com a norma EHS, deve automaticamente identificar-se a si mesmo e comunicar com outros dispositivos do sistema. Actualmente a noma EHS, em termos de meios de comunicação suporta cabo coaxial, infra-vermelhos, radio frequências e comunicação através da linha eléctrica. A possibilidade da comunicação através da linha eléctrica, abre à domótica novos horizontes visto conseguir construír-se um sistema de automatização que não envolva quaisquer custos a nível de novas cablagens.

É nesta perspectiva que este projecto se insere.
Na recolha de dados acerca de aplicações já comercializáveis, nas suas melhores características, nos seus potênciais compradores e dos protocolos e hardware utilizados. Em suma das suas capacidades.
No design duma simples aplicação que utilize a linha eléctrica como meio de comunicação, para se poder avaliar até que ponto é que é vantajoso este sistema e até onde é que se consegue comunicar, abrindo assim o caminho para novas e variadas aplicações

Para mais infomações acerca da automatização de edifícios inteligentes sugerimos a leitura de:
Sistema de Segurança para Edifícios - SSE zip
por Fausto Caldas, João Perdigão e Pedro Pereira.

UP
Up
FORWARD
Forward

BackTo front page Pages by Nuno Nunes.